Archive for the ‘internet’ Category

Mulé pelada

20/06/06

Da série "esses meus amigos são um barato".

Gosta de mulher pelada? Olha aí Joana Gatis, gostosa do mês no site da Trip. Gosta de arte? Presta atenção nas fotos.

A pelada eu não conheço, mas a Ivánova fotógrafa é das boas.

Anúncios

O podcast é o guia

19/06/06

A idéia é genial, de tão simples: um site que mostra a programação de shows na sua cidade, com um link direto para um mp3 da banda, e ainda disponibiliza um feed direto para o podcast individual da área, com todas as atrações.

Muito melhor do que confiar em rótulos que, hoje em dia, querem dizer cada vez menos. E o conteúdo dinâmico ainda livra de ficar folheando guias impressos, principalmente se você tem um mp3 player bem sintonizado.

Aqui: Podbob. No ar há quatro meses, funcionando basicamente com os EUA – mas está com a interface prontinha para outros países do hemisfério norte. A agenda principal vem de outro site, Eventful (que, por sua vez, atualiza sua programação via RSS das casas. Outra bela sacada).

O conteúdo ainda não é dos melhores, mas tende a crescer com a onda user generated, se o site pegar. Nas buscas, só aparecem os shows que tenham um mp3 vinculado – em Nova York, por exemplo, a agenda vem com apenas três citações em dois meses.

E para evitar qualquer problema com RIAA e essas bobagens de copyright, o site não abriga nenhum arquivo – só faz apontar para músicas distribuídas nos sites de artistas e gravadoras. Ainda não pegam sites a la Myspace, mas isso deve mudar em breve.

Perfeito para ser comprado pelo Google. Imagina isso somado ao Earth, o estrago que seria.

Copa dos infernos

19/06/06

Deixando bem claro: eu não acompanho a Copa do Mundo. Dormi durante o segundo tempo do primeiro jogo. E ontem, fiz questão de sair da cama só depois do apito final.

Se não acompanho, mal dou atenção ao noticiário sobre ela. Mas claro que Copa é tipo Big Brother: você sempre fica sabendo da movimentação básica, queira ou não queira.

Por essas e outras é um alento ter alguma coisa online sobre o assunto que, pelo menos, me divirta: blog coletivo do combo da Badtrip.

Os comentários são todos bem embalados. Ouro atual para a campanha 'Hermeto na Copa: por cornetinhas com tom definido'. Depois de passar a tarde de domingo sendo infernizado por todos os tipos dessas coisas, só assim pra encarar com bom-humor – e resistir à vontade de esvaziar a geladeira em cima dos chatos que bateram ponto sob a minha janela, fazendo o barulho de elefantes no cio.

Que se o Lúcio disse / então é salvação

12/06/06

Lúcio Ribeiro, o jornalista pop-indie que todo mundo adora falar que odeia mas ninguém deixa de ler, caiu fora da Folha/Uol e levou sua Popload para domínio próprio.

Pra quem acompanhava seu agora falecido espaço online, a promessa de transformar a coluna em um blogue é (muito) velha. Mas agora a idéia foi radicalizada e encontrou abrigo no portal iG.

Nos bastidores, os planos de Lúcio são ambiciosos. Oficialmente, no novo site, ele já promete um bocado: posts diários, coluna semanal, podcast com Fábio Massari e um "mapa" do indie nacional. Resta ver se vai dar conta de cumprir.

A coisa toda entrou no ar na sexta, junto com a despedida oficial na Pensata e no pé de página da Folha. O primeiro post oficial, hoje, já é furo: show do Franz Ferdinand, setembro, em São Paulo.

Espero que dê pé, apesar do sistema capenga do Blig. Mas a impressão que bate é que o site entrou no ar às pressas, com muita coisa ainda em teste. Difícil navegar por três links sem dar de cara com um "ipsis literis" genérico, o que é um bocado feio. Exemplo maior é o tal Mapa do Rock. Projeto louvável, já está linkado e disponível, só com conteúdo fake.

Custava ter um pouco mais de calma?

Alegria, alegria

23/05/06

Aí: meu querido Omelete acabou de levar o iBest de melhor site de cinema, prêmio do júri.

Tchubi, tchubi.
Comemorem por aí que eu comemoro por aqui.

Neo-Folhão

21/05/06

Eu tenho tendência a gostar dos projetos gráficos da Folha. Esse que estreou hoje foi pelo mesmo caminho. À primeira folheada, parece ótimo: bonitão, boa fonte, diagramação de fotos inteligente e páginas mais respiráveis. Grandes defeitos, só com uma análise mais aprofundada. (Tá, lembra a última grande reforma do Estadão, mas não conta pra ninguém)

Já a Folha Online, que também foi reformada, acaba dando dor de cabeça de tanto link na página principal – defeito amaciado nas subs que já aderiram ao novo visual. E eles adotaram features da web 2.0, como o box de notícias mais lidas, coisa que o New York Times já alimentava.

Vale nota também o comercial sobre o projeto, via W Brasil.

E o prêmio de rata do dia vai para a Ilustrada, com sua página dedicada a Neil Gaiman, que nega a existência da tradução de Caroline, livro lançado por aqui há mais de três anos pela Rocco. Isso sem contar, sendo mais cri-cri, a legenda da foto que credita à Morte a direção de sua própria cinebiografia. Heh.

Pronto, taí o primeiro defeito da nova Folha: se as fotos não fossem tão grandes, talvez sobrasse um mísero cantinho para falar mais sobre o novo livro, Os filhos de Anansi.